acessar webmail acessar facebook

Café

  A CAPEBE recebe em média 700 mil sacas de café por ano, sendo a maioria cafés finos destinados ao mercado externo. Os 10 armazéns de café possuem estruturas para rebeneficiar e preparar o produto para exportação.
  A CAPEBE também proporciona o repasse de financiamentos e adiantamento sobre a venda dos produtos agrícolas, aumentando assim a competitividade e reduzindo os custos ao produtor.

O que o produtor precisa saber?
Conheça os caminhos do seu café!

Chegada na balança: Ao chegar à CAPEBE, acompanhado da nota fiscal, o caminhão com o café é pesado com o produto em cima, e enviado a uma das bocas de descarga do armazém; 

Recepção Identificação: Chegando ao armazém, o escriturário da mesa vai identificar quem é o produtor, qual o código e quantas sacas existem no caminhão e em quantos lotes vão ser divididos; 


Boletim de Recepção: Esse boletim aberto é seqüencial, não se repete, é composto de 5 vias. Nele consta o peso do produto, a quantidade de sacas, o número do lote, e a posição em que se encontra na pilha do armazém; 


Carimbagem: As sacas são carimbadas, com o número do boletim de recepção e e
 com o código do cooperado; 

Furagem e coleta: Cada saca do produto é furada e dela colhida uma amostra, que será encaminhada à classificação; 

Atualização no sistema 1: No sistema da CAPEBE, os dados são lançados no código do cooperado, para que, quando solicitado, o sistema possa localizar o produto e o que existe em termos de peso e quantidade; 

Teor de Umidade: O teor de umidade é verificado através de um aparelho específico, em seguida cria-se a ficha para degustação; 
Cata - Peneira e Seca: Da amostra selecionada, são pesados e separados, sobre uma mesa, 100g para classificação dos defeitos. A quantidade de defeitos determinará que tipo é esse café; 

Degustação: O café é torrado, na torra americana ( mais clara). Dependendo da quantidade de café que entra no armazém, é determinado o número de xícaras para degustar e classificar o produto; 

Class. côr, aspecto, padrão, defeitos e tipo: Feita a degustação do café, o mesmo é definido e aprovado na sua ficha de classificação e, volta a fazer outras classificações: cor, aspecto, padrão, defeitos e tipo; 

Atualização no sistema 2: Concluída a classificação, ela é transcrita no boletim de recepção e lançada no sistema da CAPEBE, dentro do código do produtor; 

Amostra corretor:
Uma vez expedidas as autorizações de venda, e conhecida a qualidade do café, uma amostra do estoque lote, já padronizada e personalizada é encaminhada aos corretores; 

Amostra venda: A CAPEBE define quais os cafés disponíveis para  venda. Fechado o negócio, uma amostra do lote será servida aos compradores que, por sua vez, irão fazer a oferta e, dentro da melhor oferta, o produto será vendido; 

Saída – Embarque: Antes do embarque, as sacas são furadas, como na entrada, para conferência da classificação, pelo comprador. Conferida, o pagamento é efetuado.

 

Cotação do Café:
Cotação do Café Faturado
(Clique Aqui)
Previsão do Tempo: